Posts Tagged ‘ tipografia

Estudo de Caso: Design Timberland

Este estudo de caso do design timberland e das suas opções tipográficas é, a meu ver, uma forma ousada de seleccionar o peso do caracteres no seu contexto.

Há já mais de três décadas que o design Timberland nos tem habituado a uma qualidade bastante acima da média no que ao calçado especializado diz respeito. A empresa, emprega, atualmente mais de 5.000 pessoas.

A página oficial da empresa apresenta além de um atrativo design, uma excelente implementação tipografica na sua página principal. No espaço de manchete com imagens rotativas, sobrepõem-se de forma ousada elementos tipográficos da família ITC Lubalin e, a apoiar esses mesmos titulos segue-se a gótica N.º 20 Bold Condensed da coleção Trade Gothic. Ambas as tipografias. Ambos os tipos de letra são uma criação de Herb Lubalin e diretamente inspirados na família Avant Garde Gothic.

Skyfonts – O aluguer de tipos de letra

SkyFonts é o primeiro serviço de aluguer de fonte que conheço que permite que se experimente fontes durante alguns minutos de graça, ou simplesmente, o aluguer de fontes através do uso de créditos espaços de tempo específicos.

SkyFonts foi criado com dois objetivos principais.

Primeiro, o de proporcionar aos designers uma melhor maneira de experimentar com o tipo antes de fazer uma compra.

Em segundo lugar, introduzir um modelo de aluguer que permite aos projetistas pagar único tipo de letra sem terem de adquirir toda a família.

A equipa da Skyfonts lançou recentemente mais de 350 fontes no atual serviço, possibilitando assim ao cliente uma selecção de mais de 2.000 tipos de letra de alta qualidade. Entre eles, encontram-se alguns dos nomes maiores da tipografia como Abadi Monotype, a Neo Sans, Rockwell e famílias Soho e Avenir Linotype, o Eurostile, Frutiger e Univers, entre muitos outros.

GutenTag Hyper-bold

A fonte GutenTag Hyper-bold, inspirada na Garamond e na caligrafia gótica é resultado de um projeto da autoria de Sebastian Gagin, um designer gráfico, com 27 anos, freelancer, argentino, natural de Buenos Aires.

 Sebastian Gagin confessa-nos possuir uma paixão enorme pelo mundo tipográfico e que, anda sempre numa busca obsessiva na procura do detalhe, da constante pergunta versus resposta, versus nova pergunta… Talvez tenha sido assim que Sebastian Gagin tenha consigo chegar à criação desta maravilhosa fonte através de um projeto académico para uma das cadeiras de tipografia da Universidade de Buenos Aires.

Mais tarde, em Novembro de 2011, precisamente há um ano, fez parte integrante de uma exposição denominada “La letra es el lenguaje” no Museu de Arquitectura e Desenho em Buenos Aires.

As fontes na linha de tempo da Sony

A Sony Music comemora os seus 125 anos de uma história repleta de boas músicas. Para marcar esta data a Sony criou “The Sony Music Timeline“, uma linha de tempo que conta a história da companhia num mural tipográfico com cerca de 150 metros quadrados, instalado na sede londrina da Sony em Derry Street.

O projeto foi desenvolvido usando apenas uma máquina CNC de corte vinil. Foram cobertas 54 colunas com mais de 2 metros. A agência responsável pelo design foi a ALex Fowkes, tendo a fotografia ficado a cargo de Rob Antill e a impressão em vinil a cargo da Lex Media, empresa igualmente responsável pela colocação do vinil. O objetivo primário segundo Emma Pike, vice presidente da Sony Music:

Trazer a inspiração da nossa música para o coração de nosso prédio e fazer com que nosso escritório viva e respire nosso incrível legado musical.

A linha de tempo contempla cerca de mil nomes de grandiosos artistas que assinaram com a companhia desde 1887 até aos dias de hoje. Entre eles contam-se nomes como Elvis Presley, Frank Sinatra, Jimi Hendrix, Bob Dylan, Bruce Springsteen, Janis Joplin, The Clash e Michael Jackson.

Este vídeo  demonstra um pouco todo o processo desde a criação à colocação do vinil. O que mais me impressionou neste projeto é de fato a simples ideia de se ter criado algo com imenso carisma, recorrendo apenas as diferentes tipografias.

Rio 2016: assim se desenha um tipo de letra

Hoje quero-vos falar de um trabalho de tipos de letra espetacular. Na verdade quero-vos apresentar a fonte desenvolvida pelo prestigiado designer de tipografia Dalton Maag, para a Olimpíadas (jogos Olímpicos e Paraolímpicos) a realizar no Brasil, denominado Rio 2016™. O que realmente me chamou a atenção foi o facto de se ter criado uma fonte belíssima, verdadeiramente original, com um estilo pincel, extremamente fluído e com um estilo único, mas acima de tudo, um tipo de letra que foi beber às origens, tradições e formas geográficas do próprio Brasil.

Paixão e Transformação

Paixão e Transformação

Por exemplo as letras N e M são claramente inspiradas na calçada de Copacabana, ou a letra R que foi buscar as curvas à Pedra da Gávea na barra da Tijuca, ou mesmo a letra T inspirada na imagem ícone do brasil: o Cristo Redentor.

A calçada de Copacabana está presente nas letras M e N

A calçada de Copacabana está presente nas letras M e N

A letra R que foi buscar as curvas à Pedra da Gávea

A letra R que foi buscar as curvas à Pedra da Gávea

A letra T inspirada na imagem ícone do brasil: o Cristo Rei

A letra T inspirada na imagem ícone do brasil: o Cristo Rei

A ousadia desta criação está em muito mais que o simples design, a criação deste tipo de letra vai muito mais além que isso. Talvez por isso, a sua essência seja Paixão e Transformação. Paixão e transformação, paixão pelo Brasil, pelas suas gentes, sentimentos… transformação de mentalidades, de quereres, de movimentação do próprio mercado nacional e sua envolvência com o mundo que os rodeia.

Se analisarmos com a devida atenção, podemos ver em cada caracter , composto de simples pinceladas artísticas, contínuas mas dinâmicas, repletos de movimentos rápidos e fluidos, sugerindo, quiçá, os movimentos dos próprios atletas em ação. O contraste existente entre os traços mais grossos e os mais finos fazem este tipo de letra se assemelhar a algo em tudo semelhante à escrita manual, e a sua variedade de curvas transmitem uma informalidade única, que me transporta de imediato para o seio do espírito brasileiro.

Read more

Capitulares nos Livros da Classic Penguin

A Classic Penguin lançou recentemente, no passado dia 19, a colecção Penguin Drop Caps com umas capitulações de capa simplesmente maravilhosos. Esta série de 26 capas são verdadeiramente inspiradoras pelo seu poder de expressão.

Penguin Drop Caps

Penguin Drop Caps

 

Uma Capitulação é a primeira letra de uma palavra quando concebidas e criadas maior do que o texto circundante. As  capitulações são usadas normalmente para introduzir uma nova idéia, parágrafo ou capítulo. Podemos reconhecer tais elementos dos livros infantis, ou com certeza já vimos em alguns museus aqueles extratos de textos sagrados ou históricos como por exemplo a época dourada dos descobrimentos. Aliás as iluminuras do século XV manuscritos pelos escribas são em tudo semelhantes (em termos criativos) às capitulações digitais exibidas por Jessica Hische.

Para os amantes deste género de tipografia, esta série é uma merecida e credível homenagem à tradição da impressão que transborda do papel para o meio digital.

Fred Smeijers no III Encontro de Tipografia

Fred Smeijers também vai lá estar. Onde? No III Encontro de Tipografia, onde mais haveria de ser? Lá vão estar também no dia 05 de Outubro Dino dos SantosCatherine Dixon.
Fred Smeijers é um designer especializado em pesquisa e desenvolvimento de tipos de letra. De entre os tipos de letra mais famosos desenvolvidos por Fred Smeijers contam-se por exemplo a FF Quadraat, a FF Quadraat Sans, a Teff Renard, entre outros.

Fred Smeijers

Fred Smeijers

Fred Smeijers nasceu na Holanda e estudou design gráfico na Academie voor Beeldende Kunsten em Arnhem de 1980 a 1985. Depois trabalhou como designer na seção de Desenho Industrial do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Océ, entre 1987 e 1991, onde participou na concepção de tipos de letra para as primeiras impressoras a laser. Em 1992, ele co-fundou o grupo Quadraat design gráfico em Arnhem e, em 1996, o grupo mudou seu nome para Het Lab. Juntamente com a criação deste grupo é criada a sua primeira fonte: a FF Quadraat, lançada igualmente em 1992.

Em 2000 recebe o Prémio Noordzij Gerrit. Com este prémio consegue atingir grande notoriedade e o seu trabalho é exposto internacionalmente. Primeiro, em 2003, na Royal Academy of Arts, Haia, depois, em Londres no ano de 2004 na St Bride Library. Um ano antes lança o seu segundo livro denominado Type now, já antes havia lançado o livro Counterpunch.
Desde então tem sido convidado para orador nas mais prestigiadas escolas de design europeu como a Royal Academy of Arts, Haia; a Hochschule für Grafik und Buchkunst, Alemanha; University of Reading, Reino Unido; Ecole cantonale d’art de Lausanne, Suíça, entre muitas outras.

Tudo isto para dizer apenas que vale a pena participar no  III Encontro de Tipografia que se vai realizar  na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto. Para mais informações nada como visitar a página oficial do III Encontro de Tipografia.

Related Posts with Thumbnails