Pintores e Obras “Salvador Dalí – A Tentação de Santo António”

Pretendemos ao longo dos próximos meses apresentar vários artistas plásticos e as suas respectivas obras mais marcantes.

Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech, 1º Marquês de Dalí de Púbol conhecido apenas como Salvador Dalí, foi um importante pintor catalão, conhecido pelo seu trabalho surrealista.

O trabalho de Dalí chama a atenção pela incrível combinação de imagens bizarras, oníricas, com excelente qualidade plástica. Dalí foi influenciado pelos mestres do Renascimento. O seu trabalho mais conhecido, “A Persistência da Memória”, foi concluído em 1931. Salvador Dalí teve também trabalhos artísticos no cinema, escultura, e fotografia. Ele colaborou com a Walt Disney na curta de animação, Destino, que foi lançado postumamente em 2003 e, ao lado de Alfred Hitchcock, no filme Spellbound. Também foi autor de poemas dentro da mesma linha surrealista.

Dalí insistiu na sua “linhagem árabe”, alegando que os seus antepassados eram descendentes de mouros que ocuparam o sul da Espanha por quase 800 anos (711 a 1492), e atribui a isso o seu amor por tudo o que é excessivo e dourado, a sua paixão pelo luxo e o seu amor oriental por roupas.

Tinha uma reconhecida tendência a atitudes e realizações extravagantes destinadas a chamar a atenção, o que por vezes aborrecia aqueles que apreciavam a sua arte. Esta forma excêntrica e teatral de viver tendia muitas vezes a eclipsar o seu trabalho artístico.

Em 1921, entrou para a escola de belas artes de São Fernando em Madrid, onde passado 5 anos é expulso, pois afirmava que ninguém era suficientemente competente para o avaliar .

Em 1929 Viaja para Paris e conhece Pablo Picasso, artista que muito o influenciou e que o levou a passado 1 ano a ingressar no movimento artístico conhecido como surrealismo.

A década de 1930 é a altura de maior produção artística de Dalí, onde se pode encontrar nas suas obras representações de imagens do quotidiano, onde predominam as cores vivas, a luminosidade e o brilho. Os trabalhos psicológicos de Freud influenciaram muito o artista neste período. É desta fase uma das suas obras mais conhecidas “A persistência da Memória”, que mostra um relógio a derreter.

Ao longo do resto da sua vida Dalí foi criando novos trabalhos artísticos que se foram distinguindo sempre por um estilo arrojado que não se encontrava em mais nenhum artista da época. O seu estilo peculiar e pormenorizado que encontramos em algumas das suas obras e todas as suas convicções artísticas, fez e faz dele um marco incontornável da história artística mundial.

Em 1982, depois da morte da sua esposa Gala, Dalí entra numa fase de grande tristeza e depressão. Parou de produzir e começou a recusar alimentar-se. Em 1984 tentou suicidar-se quando incendiou o seu quarto.

Dalí morre na cidade de Figueres em Espanha a 23 de Janeiro de 1989 de pneumonia e paragem cardíaca.

Esta semana é dedicada à tela de Dali “A Tentação de Santo António de 1946”.

Esta obra com 89x119cm foi criada por Dali a quando de um concurso em Nova York subordinado ao tema “A tentação de Santo António” onde participaram também vários outros artistas. Entre eles encontrava-se também Max Ernst, que foi o vencedor do concurso.

Esta tela pintada a óleo, encontra-se na atualidade exposta no Museu de Arte Moderna em Bruxelas.

O simbolismo das imagens constantes neste trabalho apontam para alguns dos patamares que o ser humano quer atingir ou possuir, mas que “Santo António” recusa veemente. Mediante uma observação mais cuidada, Santo António, a figura representada no canto inferior direito da tela segura uma cruz que direciona para os “cavalos e elefantes”. O cavalo representa a força e a guerra. Um pormenor interessante de se reparar é o facto das ferraduras do cavalo estarem invertidas, querendo transmitir que a guerra só faz o homem regredir. O elefante que se encontra a seguir sustenta uma mulher, simbolizando a luxúria e o prazer carnal. Nos elefantes que vemos em seguida podemos observar vários palácios e torres, símbolo de dinheiro e poder. Podemos também ver pessoas que aparentam disputar a sua posição nesse patamares. No elefante representado mais ao fundo podemos ver que este carrega sobre o seu dorso uma torre em marfim, representando que todos os patamares retratados só distanciam cada vez mais o homem do céu. De notar também que as pernas dos elefantes são muito finas mostrando que esses mesmos patamares podem cair facilmente, podendo o ser humano ficar facilmente sem tudo isso.

Related Posts with Thumbnails

  1. No comments yet.

  1. No trackbacks yet.

Spam protection by WP Captcha-Free

%d bloggers like this: